Santuário de Nossa Senhora do Sagrado Coração

Vila Formosa - São Paulo - Brasil

Fé e compromisso Social

Fé e compromisso Social
Plebiscito popular pelo limite da propriedade da terra
Coloque limites em quem não tem!

Os Plebiscitos Populares estão se tornando uma tradição no movimento popular brasileiro.

Em 2000 dissemos “NÃO” ao pagamento da dívida; em 2002, dissemos “NÃO” à ALCA (Área de Livre Comércio das Américas); em 2007 dissemos “NÃO” à privatização da Companhia Vale do Rio Doce. Em 2010, por iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e de mais de 100 entidades (igrejas, sindicatos, movimentos populares e outros organismos), realizaremos durante a semana da pátria, de 1 a 7 de setembro de 2010, o quarto plebiscito popular para consultar a população sobre se deve ou não estabelecer um limite para a propriedade da terra no Brasil.

O objetivo do plebiscito é demonstrar ao Congresso Nacional que o povo brasileiro deseja que se inclua na Constituição um novo inciso limitando a propriedade da terra – princípio adotado por vários países capitalistas – a 35 módulos fiscais. Áreas acima disso seriam incorporadas ao patrimônio público e destinadas à reforma agrária. Um módulo fiscal pode variar de 5 a 110 hectare, dependendo do município e das condições de solo, relevo, acesso etc.

É considerada pequena propriedade o imóvel com o máximo de quatro módulos fiscais; média, 15; e grande, acima de 15 módulos fiscais. Portanto 35 módulos fiscais equivalem a 3.500 ha. Lembremos que 1 hectare é igual a 10 mil metros quadrados. Então somente propriedades com mais de 35 milhões de metros quadrados de área terão que se enquadrar ao limite estabelecido.

No Brasil somente 50 mil das 5 milhões de propriedades rurais se enquadram nesse limite. Convém ressaltar que a maior parte dos alimentos da mesa do brasileiro provém da agricultura familiar. Ela é responsável por toda a produção de verduras; 87% da mandioca; 70% do feijão; 59% dos suínos; 58% do leite; 50% das aves; 46% do milho; 38% do café; 21% do trigo.

Por isso, vote! Exerça sua cidadania e mostre que, juntos, podemos conquistar o que é de direto de todos os brasileiros e brasileiras! Diga “SIM” ao limite da propriedade da terra rural!

Mais informações em www.limitedaterra. org.br

Antonio Corda, Agente de pastoral
antonio.corda@terra.com.br


Eleições 2010

“Ai daqueles que fazem decretos injustos e daqueles que escrevem apressadamente sentenças de opressão, para negar a justiça aos fracos e fraudar o direito dos pobres do meu povo, para fazer das viúvas a sua presa e despojar os órfãos” (Is 10,1-2).

A internet pode nos ajudar a obter informações e votar conscientemente. Alguns portais da na web apresentam as mais diversas notícias, informações, artigos, entrevistas os quais podemos associar aos valores evangélicos. Dessa associação poderemos votar em pessoas e/ou partidos comprometidos com o povo.

Neste ano votaremos na seguinte sequência:
1) Deputado estadual;
2) Deputado federal;
3) Senador – Primeira vaga;
4) Senador – Segunda vaga;
5) Governador;
6) Presidente.

Note bem: votaremos em um deputado estadual, um deputado federal, dois senadores. Esses são aqueles que devem fiscalizar os governadores (dep. estaduais) e o presidente, além de proporem ou revogarem leis. Portanto, tenhamos em mente o texto bíblico acima para votarmos em pessoas que estejam comprometidas com a justiça vida.

Eis alguns portais, então, que podem nos ajudar:
1) www.fichalimpa.org.br – Fruto de uma campanha de assinaturas, que possivelmente você também participou, a lei da ficha limpa já foi aprovada e sancionada e o Tribunal Superior Eleitoral entendeu que vale já para as eleições deste ano. É organizado pela A Articulação Brasileira contra a Corrupção e a Impunidade (ABRACCI) e pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE). Somente são cadastrados candidatos que pedem e são aprovados segundo esta lei.

2) www.mcce.org.br – O movimento de combate a corrupção eleitoral se fortaleceu na campanha de assinaturas anterior que resultou na lei 9840. Há diversas notícias, especialmente sobre as denúncias de corrupção por todo o Brasil.

3) www.cbjp.org.br – Comissão Brasileira de Justiça e Paz – Órgão vinculado a Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB).

4) www.excelencias.org.br – Mantido pela Transparência Brasil – Acompanha todos os gastos de governos, assembléias legislativas e políticos. Nele, possivelmente, poderá conferir os gastos de seu/sua candidato/a caso já tenha exercido algum cargo público.

Você poderá ter informações a partir de documentos oficiais de todo o Brasil.

5) www.votoconsciente.org.br e www.institutoagora.org.br. Dois portais que acompanham os políticos do estado de São Paulo. Neles pode-se ter acesso aos trabalhos dos atuais vereadores da capital e dos deputados estaduais. Portanto, se são candidatos, certamente temos informações sobre eles.

Há outros como os dos tribunais eleitorais, especialmente o do TSE (www.tse.gov.br). A internet nos oferece muitas possibilidades. Apenas permaneça atento para que entre em portais sérios e tenham informações checadas e confirmadas. E vote com consciência, pois como diz o lema da campanha pela lei contra a corrupção eleitoral (lei 9840):

“Voto não tem preço. Tem conseqüências”!

Miguel Mota


“Setembro” foi escolhido para celebrarmos o mês da Bíblia

Você já leu hoje?

Setembro foi escolhido pela Igreja para celebrarmos o mês da Bíblia, porque no dia 30 comemoramos o dia de São Jerônimo. Foi ele quem traduziu a Bíblia do hebraico e grego para o latim, tornando possível a nossa leitura nos dias de hoje. A Bíblia é hoje o único livro que está traduzido em praticamente todas as línguas do mundo e que está em quase todas as casas.

Ela é “alimento espiritual” para a Igreja e para as pessoas; ajuda-nos na caminhada em busca da vida eterna.

“Toda Escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para argumentar, para corrigir, para educar conforme a justiça ” (2Tm 3,16).

A Bíblia foi escrita por pessoas escolhidas por Deus e inspiradas pelo Espírito Santo. Ela revela o projeto de Deus para o mundo; serve para que todos possamos crescer na fé e levar uma vida de acordo com o projeto de Deus. Por isso, ela é a grande “Carta de Amor” de Deus à Humanidade.

Apresenta uma longa história, desde nossos pais e mães da fé (Abraão e Sara, Isaac e Rebeca, Jacó e Raquel) passando por Moisés, pelos Profetas, até a vinda do Messias, e, por fim, a vivência do Cristo ressuscitado das primeiras comunidades cristãs. A Sagrada Escritura, como a conhecemos, demorou em torno de dois mil anos para ser escrita. E nem por isso perdeu a sua identidade ou veracidade dos fatos. Por ter sido escrita há muito tempo, alguns dizem que está ultrapassada, que os tempos são outros bem diferentes da realidade daquela época. Realmente muitas coisas mudaram, mas a Palavra de Deus continua “viva e eficaz” (Hb 4,12), pois “ela permanece para sempre” (1Pd 1,25).

Ela é fonte para nossa inspiração; ajuda a fortalecer a nossa fé nos momentos de crises e dificuldades, na dor, na doença ou nos conforta na alegria. Mais do que tudo isto é o livro do Anúncio: proclama a boa notícia vinda de Deus.

Todos podemos e devemos ler, estudar e conhecer a Palavra de Deus. É certo que na Bíblia encontramos alguns textos difíceis com algumas palavras que não conhecemos muito bem. Devemos então procurar nossos catequistas, nosso pároco para esclarecer nossa dúvida e ensinar as outras pessoas quão importante ela é em nossa vida e o quanto ela nos edifica na fé. Assim, ela não deve ser apenas mais um enfeite em nossa estante, para mostrarmos que temos uma em casa. A Palavra de Deus deve ser o nosso alimento de cada dia: “Não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da boca de Deus” (Mateus 4,4).

Esse mês é, então, mais uma oportunidade que temos para examinarmos nossa vida e vermos qual é o valor que damos a este livro tão especial e tão importante para todos os que seguem a Jesus, como Caminho, Verdade e Vida. Peçamos sempre a luz do Espírito Santo e expulsemos toda e qualquer preguiça ou até mesmo aquela velha desculpa de não termos tempo para sua leitura.

Leia trechos diariamente e reflita sobre eles! Feche seus olhos, silencie sua mente, seu coração e procure captar/interpretar a mensagem divina. E a cada letra, a cada palavra, vamos perceber e ouvir a Voz de Deus que fala ao nosso coração e como isto mudará para melhor nossa vida e o modo de interpretarmos as mais variadas situações que vivemos.

Seja feliz! Conheça, leia e medite a Palavra de Deus, pois ela te preencherá!

Viviane Valente


Como os discípulos, somos hoje, chamados por Cristo.

Ele nos chama através da Igreja, essa Igreja que foi construída sobre Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra construirei a minha Igreja”(Mt 16,18).

Texto: Pe. Júlio César Machado, mSc

O chamado que Cristo fez aos discípulos é dirigido, hoje, também a nós. Somos convidados por esse Jesus Ressuscitado a trilhar caminhos que nos levam ao amor, à solidariedade, ao compromisso… Caminhos que nos fazem olhar o próximo como alguém que Deus coloca em nossa vida para nos ensinar e aprendermos juntos… Caminhos que nos levam a viver em comunidade… Todos nós, homens e mulheres, somos convidados por Cristo a estarmos em Comunhão (comum-união) em torno do mesmo Deus verdadeiro, revelado por Ele. Com seu olhar penetrante e amoroso, Ele continua nos chamando, a todo instante.

Olhando para o chamado que Jesus fez aos seus discípulos, podemos imaginar que esses não resistiram ao seu convite e “deixando tudo” o seguiram. Para os discípulos, viver com Cristo e fazer a sua vontade era o que, daquele momento em diante, importava. Por isso foram capazes de “deixar tudo”. Cristo não se preocupou em saber se eram homens cultos, bons… Ele apenas chamou-os e depositou neles total confiança.

Como os discípulos, somos hoje, chamados por Cristo. Ele nos chama através da Igreja, essa Igreja que foi construída sobre Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra construirei a minha Igreja”(Mt 16,18). Essa Igreja que é mãe, servidora, na qual fomos inseridos como filhos de Deus através do Batismo, assumindo o compromisso de ser sinais da presença de Deus aos outros, dentro da comunidade.

A vida em comunidade não se resume apenas à participação da Santa Missa. Ela se refere a algo mais comprometedor. Com isso podemos nos perguntar: Por que não assumimos o compromisso de ser catequista, de trabalhar nas pastorais do Batismo ou da Crisma ou da saúde ou carcerária ou do movimento de casais, da liturgia? Por que não valorizamos os diversos cursos promovidos pelas nossas paróquias e comunidades, cursos que nos ajudam a crescer na fé, a conhecer melhor a Igreja e a aderir mais a Jesus Cristo?

Somos vocacionados, isto é, chamados a ser Igreja no mundo moderno, através das diversas pastorais e movimentos, sabendo que a Igreja precisa de nós, que ela conta com a nossa disponibilidade.

Que aprendamos de Maria, mãe de Cristo e nossa mãe, a acolher a vontade de Deus em nossa vida, a estar atentos às necessidades da Igreja e dos irmãos e que, de coração aberto, possamos ouvir o apelo de Jesus Cristo que nos diz: “vem e segue-me!”.

Texto: Pe. Júlio César Machado, mSc é pároco no Santuário de Nossa Senhora Aparecida em Bauru, SP


Página 8 de 8« Primeira...45678